PARA O MUNDO

 
 
 
 

FOME A NÍVEL MUNDIAL 

malnourished child

animal feed vs. biofuels

O consumo de carne significa o alongamento da cadeia alimentar, desde as plantas até ao ser humano. Esta forma de produzir alimento, o adicionar de outros “aros” à corrente, i.e., animais, representa uma perda de nutrientes que poderíamos utilizar diretamente. Dependendo do tipo de animal, são necessários - às vezes mais - 10 calorias de plantas para fornecer 1 caloria de carne. Se a totalidade da população humana se permitisse o luxo de ingerir a quantidade de carne normalmente ingerida, hoje em dia, na UE e nos EUA, seria impossível alimentar a totalidade da humanidade, e não nos referimos a um ponto longe no futuro; esta é a situação atual.
O relatório da ONUAA "Crop Prospects and Food Situation" mostra que, enquanto 100 milhões de toneladas de cereais são usados na produção de biocombustíveis, 754 milhões de toneladas de cereais são usados na alimentação de culturas de animais. A produção global de carne gasta 7 vezes mais cereais do que a produção global de biocombustíveis.


A fome é já um assunto considerado normal ao redor do planeta. A UNICEF estima que 90 000 000 de crianças por todo o mundo, com idades inferiores a 5 anos, estejam severamente malnutridas. Perto de 70% das colheitas importadas pela UE usadas para a alimentação animal têm origem em países em vias de desenvolvimento, onde se registam os maiores níveis de malnutrição. Num mundo onde a população global está a crescer rapidamente, a necessidade de assegurar uma forma confiável de nos alimentar a todos torna-se cada vez mais urgente. A vida vegetariana, i.e., a ingestão de carne vegetariana no lugar da de origem animal ou, no futuro, carne cultivada, deve continuar a ganhar credibilidade como uma forma viável de alimentar o planeta.